Herois do Olimpo RPG

Fórum de Mitologia Grega baseado em Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo!

Alguém ai?

Qua 8 Ago 2018 - 12:52 por Hefesto

Estou afim de voltar a narrar, tem alguém querendo participar?

Comentários: 27

Autores nos tópicos

Dom 2 Jul 2017 - 20:55 por Ártemis

Autores nos tópicos

Recentemente adicionei em todos as postagens do tópico de Tutoriais e Guias bem como
o tópico da Biblioteca o nome de quem fez, quem ajudou a fazer, quem editou (boa parte do conteúdo), e quem ajudou com a ideia.

Assim temos uma visão mais clara de pessoas que, apesar de a maioria não saber, ajudaram com o crescimento e evolução do fórum.

Lembrando que todo o conteúdo criado para o fórum é de autoria do mesmo. Todo "direito autoral" que estabelecemos aqui é de Rick Riordan, o criador das séries Percy Jackson e Os Heróis do Olimpo.


Comentários: 0

EVENTO DOUBLE ALEGRIA DE FÉRIAS

Ter 27 Jun 2017 - 14:28 por Selene

Evento Double Alegria de férias



Evento válido do dia 01/07/2017 até 15/07/2017


Férias de Julho chegando e nada melhor do que um evento double pra levantar os ânimos do fórum. Chamem seus amigos e desfrutem do evento
DOUBLE ITENS, EXP e DRACMAS





Comentários: 1

Problemas com as contas Olimpianas

Dom 8 Jan 2017 - 13:29 por Quíron

Olá Olimpianos.

Depois de um backup feito no fórum os direitos de administrador de todos os olimpianos foram retirados automaticamente pela Forumeiros. A princípio é para esse erro já ter sido corrigido, se algum Olimpiano ainda estiver com problemas mande mp ou fale comigo no Facebook: https://www.facebook.com/paulohenrique.morais.9

Desculpe o transtorno, Quiron.


Comentários: 0


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Estados Unidos da América » Estados Unidos da América » São Francisco » 

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 5 de 7]

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
- Juro pelo Rio estige que não farei nenhum mal além de tirar um pouco de sangue de vocês depois de curar esse menininho. Nada de muito doloroso ou mortal, sob pena de passar 50 décadas no tártaro caso quebre a promessa. – Diz o monstro revirando os olhos e com os braços levantados. Aparentemente Kelly não dava a mínima para as condições de Laxus, ela se sentia totalmente no controle da situação.

- Agora vamos à sua parte, grandalhão. Como percebeu, jurei que não farei mal nenhum a vocês, mas também não prometi que faria nenhum bem imediato. Afinal, nada garante que não irão me trair. Então ou deixa que eu pegue o que eu quero antes ou deve jurar que terei meu prêmio depois. Você também precisa fazer isso, garotinha – Diz o demônio ainda com seu tom de sarcasmo.

Julia olha para Laxus esperando pela sua reação.

#41

Φ Laxus Dreyar

avatar
Filho(a) de Júpiter
Filho(a) de Júpiter
Ver perfil do usuário
- Eu juro pelo rio estige que depois de você curar Sam completamente, terá um pouco de nosso sangue, desde que não nos mate ou comprometa nosso progresso ao acampamento.

Olho para Julia, fazendo um sinal afirmativo com a cabeça.

De forma alguma eu confiava no monstro, em nenhum momento abaixaria a guardar ou deixaria de ter atenção. Eu não a trairia, é claro, se ela fizesse o que eu disse, mas mesmo assim ficaria atento para o caso de precisar lutar. Também não deixo de prestar atenção à tudo que me rodeava. Sempre teria Julia no meu campo de visão e também prestaria atenção em todo o resto para não ser surpreendido.

Me aproximo do monstro.


- Vamos logo com isso. Ambos queremos o que buscamos o mais rápido possível. Depois disso, não teremos mais nada para compartilhar.

#42

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
Julia repete as palavras de Laxus em uma espécie de impulso.

A empousa estende o braço apontando para uma árvore e diz que o garoto deve ser colocado ali. Tremendo, lacrimejando e sussurrando, Sam é recostado no tronco da planta enquanto Laxus se afasta. A empousa muda seu olhar para um modo mais analítico, estava captando a essência daquela magia e sua expressão não era das melhores. O feitiço era bem poderoso.

Ela coloca sua mão sobre a cabeça de Sam e começa a recitar um cântico em grego antigo e logo em seguida o faz em latim. Aos poucos, o corpo do menino começa a repousar e sua boca para de se mexer. Ele agora dormia tranquilamente. Ao final, o monstro materializa uma espécie de seringa e retira uma quantidade moderada do sangue do menino, cumprindo com sua palavra. Ela fecha o buraco instantaneamente.

A pior parte veio depois. Ela se vira para os dois semideuses sabendo que eles deveriam cumprir com o trato. Julia também tem o sangue retirado por uma seringa e seu ferimento é curado instantaneamente pelo próprio monstro.

Quando chega a vez de Laxus, o olhar da criatura muda e ela se aproxima. Laxus estende um braço esperando que o mesmo fosse feito com ele, mas a empousa sussurra em seu ouvido.

- Você comprou briga com alguém muito poderoso, meio-sangue. Eu removi uma maldição que assolava a mente do garoto e ele deve acordar logo, mas existe algo maior nele que mesmo eu não sou capaz de remover. Em todo caso, cumpri com nosso combinado.

Laxus arregou os olhos com aquela revelação, mas foi surpreendido com uma mordida na nuca dada pela vampira. Ela drena um pouco do sangue do semideus e logo fecha seu ferimento, limpando a boca com o braço depois.

- Foi bom negociar com vocês – Conclui a criatura antes de desaparecer em meio a um nevoeiro que começava a se formar.

Imediatamente os dois correram para o lado de Sam, que começava a acordar. Seus olhos finalmente estavam normais e sua expressão ainda era de pânico. Ele revela que tem todas as lembraças dos últimos acontecimentos, inclusive do fato de ter sido forçado a ficar atirando pedras num lago e sussurrando coisas horríveis e ter seu sangue retirado.
O que chama a atenção todavia, é que o nevoeiro que se formava era real. Kelly já não estava mais ali, sua presença e aura mágica poderosa sumiram por completo, mas os semideuses não poderiam dizer que estavam em paz.

#43

Φ Laxus Dreyar

avatar
Filho(a) de Júpiter
Filho(a) de Júpiter
Ver perfil do usuário
Quando estendi meu braço eu já devia suspeitar que ela não queria, afinal, os dois eram filhos de Júpiter, enquanto eu era somente descendente de Marte. De qualquer forma, fico irritado quando ela me morde. Não queria meu sangue nas entranhas daquele monstro.

Porém, o que mais me preocupa é o que ela diz, e o que acontece depois que ela vai embora. O nevoeiro não parecia boa coisa e nós aparentemente estávamos em perigo. Eu sabia que Sam estava cansado, e também sabia que provavelmente era inútil fugir, mas eu não ficaria parado.


- Vamos. Precisamos sair daqui imediatamente.

Começo a erguer Sam e incentivá-los a andar. Nesse momento, eu rezo com todas as minhas forças para Marte e Vênus e todos os outros deuses de quem eu me lembre. Aquela viagem estava parecendo extremamente mortal e perigosa. Muitas coisas estranhas e ruins já haviam acontecido, fora do comum, que me deixavam receoso com o nosso fim. Precisava da ajuda de todos os deuses naquele momento, e precisava chegar rápido ao Acampamente Júpiter.

Me mantenho atento como sempre estou, pois sabia que podia sofrer um ataque surpresa e eu não poderia me deixar ser tirado de batalha, ponde em risco os garotos, e muito menos deixá-los desprotegidos.

#44

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
Os três começam a caminhar novamente pelo nevoeiro que se tornava denso. Para a sorte do trio, Sam não herdou apenas a capacidade de manipular eletricidade. Ele enxergava muito bem em meio a nevoeiros e foi um guia excelente para a saída daquele lugar.

Quando finalmente se deu conta de onde estava, Laxus se viu na estação de metrô e tudo estava aparentemente normal. Pessoas chegando, indo. Algumas se recepcionando, outras se despedindo. Já era de manhã, por volta das 10 horas, e apesar disso, os últimos acontecimentos pareceram uma eternidade.

As orações do legionário pareceram surtir algum efeito por conta da tranquilidade dentro daquele espaço. Ele precisaria apenas comprar os bilhetes e voltar o mais rápido possível para São Francisco. Ainda precisava seguir até o acampamento. Uma viagem nada curta.

#45

Φ Laxus Dreyar

avatar
Filho(a) de Júpiter
Filho(a) de Júpiter
Ver perfil do usuário
Quase não posso acreditar na nossa sorte. Geralmente a sorte era uma piada na vida de semideuses, mas eu não poderia ficar agourando a viagem e muito menos me vangloriando pelo progresso. A única coisa fixa em minha mente, era o objetivo de chegar com eles no acampamento em segurança. Passaria por cima de qualquer coisa para isso acontecer.

Logo me dirijo à estação e tento comprar as passagens. Se Sam fosse novo o suficiente, talvez não cobrassem a passagem dele, o que seria bom, já que não era seguro ficar sem dinheiro mortal. Claro que ainda teria minha atenção ligada para qualquer surpresa. Quando se é um semideus nunca se pode ser displicente no mundo mortal, principalmente levando comigo dois filhos de Rei do Olimpo.


- Vamos lá, estamos progredindo. Vamos ficar todos bem.

Digo mais para quebrar o silêncio, mas também para encorajar os jovens, que deviam estar cansados e esgotados.

#46

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
O denso nevoeiro continuava na superfície. E ele tinha indícios de magia. Os mortais, por algum motivo, estavam se refugiando no subsolo. Isso significava que algo ali poderia afetar as pessoas. O som de gotas de chuva também começava a ecoar e o trio de semideuses vê duas senhoras falando sobre o temporal repentino que se iniciava.

Laxus ainda assim vai até a fila para a compra de passagens e logo  consegue os bilhetes. Todos entram no trem e conseguem um local para relaxar sentados, ali, no fundo. O problema é que a viagem deveria durar pelo menos uma hora e meia, mas não haviam se passado 30 minutos quando o trem parou bruscamente.

As linhas haviam sido suspensas temporariamente. Um forte temporal com raios e uma grande torrente caíam e isso tornava a circulação dos meios de locomoção. As pessoas descem na primeira parada e algumas acabam ficando por ali enquanto outras simplesmente pegavam seus guarda-chuvas e seguiam caminho a pé.

O grunhido estranho de algo é ouvido por Julia que olha para o túnel escuro do metrô. Apenas trens deveriam circular por ali, mas aparentemente não era o caso. Laxus imediatamente repara que os semideuses tem companhia, mas quando foi que apareceram? Das paredes, do chão, do teto. Criaturas horrendas, pareciam mortos-vivos, mas eram piores. Sua aparência era sanguinária e sua expressão de fome insaciável estava ali estampada na forma de grandes bocões abertos que nada mais faziam que gemer. Ghouls, e estavam por  todos os lados.


Ghouls[x10:
]

#47

Φ Laxus Dreyar

avatar
Filho(a) de Júpiter
Filho(a) de Júpiter
Ver perfil do usuário
Claro que a nossa sorte não seria tão grande. Logo que o trem pára, já sinto o cheiro de problemas, que se comprovam rapidamente. Várias horríveis criaturas mortas-vivas surgiam no túnel. Meu primeiro impulso e sacar a espada e atacar, mas então percebo que estamos cercados e resolvo usar mais a mente de descendente de Marte.

Analiso as características dos inimigos. Bocas enormes e braços e pernas longas, com garras. Devia ser rápido e agressivo, mas provavelmente não muito resistente a danos. Desejaria ter um arco ou adaga de arremesso no momento, mas só dispunha de uma espada curta. Seria uma luta difícil.


-São cinco para cada, Julia. Precisamos eliminar um de cada vez, o mais rápido que pudermos. Sam, se concentre eu não ser atacado. Se proteja, acima de tudo. Nós resolvemos isso.

No fundo, eu esperava que ele tivesse algum truque para nos ajudar, contanto que não se esgotasse como da última vez, mas não poderia pedir para ele assumir uma frente. Também me preocupava com Julia. Ela podia ser forte, mas não sei se seria capaz de matar 5 monstros. Logo, eu teria que fazer o impossível para matar o máximo que conseguisse e salvá-los.

Dou um passo à frente, na direção de um dos grupos de monstros maior e começo a fazer uma análise deles e do campo de batalha. Me concentraria nos seus movimentos. Se estavam famintos, provavelmente atacariam.


-E ENTÃO!? VENHAM ME PEGAR!

Espero o primeiro se aproximar. Tentaria me esquivar, mesmo que dois pulassem ao mesmo tempo. Eu rolaria ou pularia, pois sempre haveria alguma região livre de ataques. Na primeira oportunidade de contra-ataque, eu usaria minha espada em um golpe perfurante, de preferência nas costas de um deles, para que tornasse a esquiva difícil. O golpe não seria demorado. Assim que fincasse a espada, empurraria ela para cima, rasgando a carne e puxando ela pra mim ao mesmo tempo, para efetuar o corte sem deixar minha espada presa.

Se durante o golpe algum tentasse me pegar desprevenido, eu giraria o corpo de lugar, mas manteria o ataque, tentando me afastar logo em seguida. Caso eu seja atingido por algum dos monstro, aproveitaria a proximidade com o agressor para tentar decepar o membro que estivesse mais próximo, fosse um braço ou até mesmo a cabeça.

Me mantenho em movimento ao término das primeiras investidas, tentando procurar regiões onde eu não fique encurralado. Tento não me afastar muito dos outros e das crianças e me concentro ao máximo para me manter inteiro e poder matar o máximo de ghouls.





Nível 1 – Analise I: O Filho de Marte consegue analisar todos os aspectos do combate ao seu redor, podendo assim elaborar estratégias e ataques mais facilmente. Na rodada seguinte, seu terá uma chance maior de ter sucesso. Gasta 30 de energia e entrara em espera por três rodadas.

#48

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
O som de raios e mais raios começava a ecoar pelo céu. De início, tanto Laxus quanto Julia olharam para Sam, afinal, a última vez em que aquilo ocorreu teve sua influência. Mas dessa vez não, muito pelo contrário, o garoto estava amedrontado tanto com os monstros e aquela situação, como também com os raios. Era como se ele pudesse ver que alguém estava muito furioso, apesar de algo assim definitivamente não estar acontecendo.

Os braços e mãos da filha de Júpiter estavam melhores depois da trégua dos ceifadores de Vulcano. Essa era uma boa notícia, pois, ela poderia fazer aquilo que mais sabe: bater pra caralho. Não demorou pra que dois ghouls audaciosos que voaram em cima da menina serem atirados nos trilhos como bolas de papel, chocando-se contra as paredes e literalmente explodindo em sangue e pó.

Laxus por alguma razão era o mais focado pelos monstros dessa vez. Ele havia dado a ideia de dividir as criaturas meio a meio com Julia, mas havia sete monstros cercando-o. Por mais atento que estivesse, era inevitável escapar de todo aquele frenesi de ataques. Esquivou-se com sucesso dos dois primeiros, bloqueou os dois seguintes, decepando a cabeça de um. Mas duas outras criaturas lhe derrubaram traiçoeiramente em um salto pelas costas e um desses mordeu seu ombro, causando uma dor que beirava o insuportável.

Ele acabou sendo salvo pelos dois outros semideuses, pois Sam criou uma pequena descarga através dos dedos que cegou  todos que estavam próximos, com exceção de Julia e por algum motivo, Laxus, que não teve tempo de achar aquilo estranho, pois estava praticamente virando almoço de Ghoul, além de Julia, que deu uma voadora no monstro que havia mordido o legionário.

- Rápido, por aqui! – Grita Sam, que estava apontando para a escada de saída do metrô.  Lutar com aquelas coisas no espaço escuro e limitado era, de fato, complicado. Julia ajuda Laxus a se erguer e começa a guia-lo para a saída, aproveitando-se dos monstros estarem temporariamente desnorteados.
Ghouls[x6:
]

#49

Φ Laxus Dreyar

avatar
Filho(a) de Júpiter
Filho(a) de Júpiter
Ver perfil do usuário
Fugir parecia uma ótima ideia agora. Tento colocar os pensamentos em ordem mesmo com a dor no meu ombro, enquanto subo a escada atrás das crianças. Tento deixar os problemas que não importavam de lado por um tempo: O fato de somente os monstros ficarem aturdidos e eu não, os mortais que poderiam estar no subsolo, ou qualquer outra pergunta irrelevante pro momento.

Me concentro, tentando lembrar de todos os momentos em que mais senti dor em meu treinamento até hoje, com os lobos e no acampamento. Me lembro de como me senti e de como passei pela dor e continuei em pé, vivo. Precisava focar em motivos para continuar em pé e achar forças para isso.

Corro com eles tentando olhar os 360 graus ao meu redor quando atingimos a superfície e então decido qual será a melhor direção pra seguir, caso nenhum dos dois me guiem para algum lado. Tento me manter perto dos dois e me movimentar o mais rápido que eu pudesse, até encontrar um lugar seguro para me recuperar. Não tiro o olho deles e não deixo de ficar alerta à surpresas. Qualquer menção de perigo eu tentaria agir da maneira mais rápida possível para proteger a eles e a mim.

#50

Conteúdo patrocinado


#51

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 5 de 7]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum